A UMARUnião de Mulheres Alternativa e Resposta considera que as declarações de Pedro Passos Coelho sobre o aborto são um autêntico absurdo, ao afirmar que a actual lei o liberaliza e ao admitir uma avaliação, que pode redundar num novo referendo.

Como podem as mulheres confiar num dirigente político, que quer fazer recuar uma luta de três décadas, pelo direito de escolha das mulheres?

Como pode Pedro Passos Coelho, que se quer passar por um liberal moderno, atender às pressões da direita mais conservadora e recolocar Portugal na cauda da Europa, quanto aos direitos sexuais e reprodutivos?

A avaliação da lei está feita:
  • Desde 2007 que não há mulheres julgadas em tribunal por terem feito um aborto.
  • Desde 2007 que as mulheres interrompem a sua gravidez com segurança, sem danos para a sua saúde.
  • Desde 2007 que as mulheres deixaram de morrer de aborto clandestino.
  • Desde 2007 que as mulheres que interrompem a sua gravidez recebem informação sobre contracepção e têm possibilidade de serem acompanhadas pelo planeamento familiar do SNS.
  • Desde 2007 que o direito de escolha das mulheres quanto à sua maternidade passou a ser respeitado, inserindo assim o país na realidade europeia.
Em 2007, cidadãs e cidadãos portugueses decidiram democraticamente num referendo vinculativo, dar um significativo passo em frente quanto às liberdades individuais e direitos das mulheres.
E agora? Querem dar esse passo atrás?




Comunicado da UMAR sobre as afirmações de Passos Coelho, relativamente à Lei do Aborto.

Após um fim-de-semana em grande, junto da famelga, que esteve de visita a Lisboa, a única coisa que me apetecia, hoje, era ficar na cama. Acordei estava a chover torrencialmente, e com a chuva lá se foi a minha vontade de vir trabalhar.  O que vale é que na próxima semana temos um feriado à sexta-feira e, sempre são 3 dias de descanso. Mal posso esperar...
A Delta Cafés solicitou uma reunião com o Papa no Vaticano.

Após receber a bênção do mesmo, o representante cochichou:
- Vossa Santidade, nós temos uma oferta.
A Delta está disposta a doar 50 milhões de EURs à Igreja, se Vossa Santidade mudar a frase da oração Pai-Nosso,  de "o pão-nosso de cada dia nos dai hoje" para "o café nosso de cada dia nos dai hoje".
O Papa responde:
- Isso é impossível. A oração é a palavra do Senhor e não pode ser mudada.
Bem, diz o homem, nós já prevíamos sua relutância e, por isso, nós aumentamos a oferta para 100 milhões de EURs. Tudo o que pedimos é que se mude a frase de pão para café.
Novamente o Papa responde:
- Isso, meu filho, é impossível. A prece é a palavra de Deus e não pode ser mudada.
Finalmente, o homem da Delta diz:
- Vossa Santidade, nós da Delta respeitamos a  vossa fé, mas nós temos uma oferta final:  doaremos 500 milhões de EURs para a Igreja Católica, simplesmente se a frase "o pão-nosso de cada dia" for mudada para "o café nosso de cada dia". Por favor, pense nisso.
E o homem retirou-se.
No dia seguinte, o Papa convoca o Colégio dos Cardeais e diz:
- Tenho 2 notícias para dar: uma má e a outra boa.
A boa notícia é que a Igreja vai receber uma doação de 500 milhões EURs.
- E a má notícia, Santidade? - pergunta um dos cardeais.
Responde o Papa:
-Vamos rescindir o contrato com a Panrico...  
quinta-feira, 26 de maio de 2011


"Portugal é capaz em muitas áreas de negócio, investigação e inovação. Somos (também) um país que faz, inova, vence. Este vídeo foi feito por um grupo de cidadãos multipartidário e pretende dar força, esperança, confiança a Portugal e aos portugueses. Para tal, é preciso votar: interessar-se pelos destinos do país. E depois trabalhar, dar o nosso melhor. Se esta mensagem o interessou, ajude já com um pequeno gesto: partilhe este vídeo. A esperança é contagiosa."


Vamos todos ajudar na Luta contra o Cancro da Mama, que todos os anos afecta milhares de mulheres, em todo o mundo. Para isso, basta acederes ao site  Fight Breast Cancer e clicar na opção que diz "Click Here to Give - it´s free". Cada click equivale a uma mamografia grátis, que poderá ajudar muitas mulheres.

Com apenas um click podes fazer a diferença.
Acabei de ver nas notícia que o candidato do PSD, Passos Coelho, está a pensar rever a lei do aborto. Estou confusa, confesso. Então não andámos, há uns tempos atrás, com referendos e tudo o mais, sobre este preciso assunto? Então, para quê voltar ao mesmo? Será que o senhor está um pouco aborrecido porque não encontra solução para a actual crise e quer entreter os portugueses com mais, não sei quantos, debates e discussões públicas sobre um assunto já tratado? Mas, não temos nós portugueses outros problemas mais importantes com que nos preocuparmos do que com um que, felizmente já foi resolvido?
Pergunto-me o que quererá ele rever de seguida: a constituição; a abolição da escravatura, a convenção de Genebra?
terça-feira, 24 de maio de 2011



Este é o vídeo do momento. Uma jovem a ser brutalmente agredida por duas colegas. Alguns rapazes assistem a tudo, mas estão demasiado entretidos a gravar toda a acção para ajudar a jovem.
Como sinto vergonha desta juventude. Mas, sinto ainda mais vergonha dos pais que educam (ou, neste caso, não)esta juventude, desta maneira. É, certo que, nem sempre os pais têm culpa, mas como justificar um comportamento assim?
No sábado realizei o jantar do meu 24º aniversário, rodeada de amigos e familiares. Já não me lembrava da última vez que tinha reunido tanta gente, numa só mesa. Foi divertido juntar tantas personagens diferente, num só lugar e por uma só causa - o meu aniversário. Adorei tudo. Inclusivé a porcaria do bolo que sabia a tuli creme. 
Apesar de, no domingo, ter acordado um pouco melancólica (vá-se lá saber se ainda era da bebedeira), a verdade é que não poderia estar mais feliz, pois já conto com 24 anos de história (mais 6 e já posso escrever um livro de memórias).


Um beijinho muito grande para todos aqueles que tornaram a minha noite especial e a todos os que me enviaram mensagens de carinho, quer fosse através do Facebook, das Conversas da Sopa ou por telemóvel.



sábado, 21 de maio de 2011

A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa que, actualmente, não possui qualquer tipo de tratamento. No mundo, cerca de 25 milhões de pessoas são afectadas por esta doença, sendo que o número de afectados em Portugal é de 100 mil. É a chamada doença do esquecimento. A degeneração progressiva faz com que o paciente vá, consequentemente, perdendo faculdades físicas e psicológicas. A sua vida, aos poucos e poucos, vai tornando-se num vazio de memórias. Tudo o que lhe era familiar, passa de um dia para outro a ser estranho.

Para mais informações sobre esta doença visita o site da Alzheimer Portugal
quarta-feira, 18 de maio de 2011
Mas o que é que se passa com este tempo? Uma hora dá sol, na outra a seguir está a chover. Na percebo!
Isto daqui a uns dias mais vale andar com duas mudas de roupa, pois só assim é que uma pessoa consegue acertar. E, o nosso verão? Chega ou não chega?
terça-feira, 17 de maio de 2011





Loser like me


Yeah, you may think that I'm a zero
But, hey, everyone you wanna be
Probably started off like me
You may say that I'm a freakshow (I don't care)
But, hey, give me just a little time
I bet you're gonna change your mind

All of the dirt you've been throwin' my way
It ain't so hard to take, that's right
'Cause I know one day you'll be screamin' my name
And I'll just look away, that's right

(Chorus)
Just go ahead and hate on me and run your mouth
So everyone can hear
Hit me with the words you got and knock me down
Baby, I don't care
Keep it up, I'm tunin' up to fade you out
You wanna be
You wanna be
A loser like me
A loser like me

(Cory Monteith/Finn)

Push me up against the locker
And hey, all I do is shake it off
I'll get you back when I'm your boss
I'm not thinkin' 'bout you haters
'Cause hey, I could be a superstar
I'll see you when you wash my car

All of the dirt you've been throwin' my way
It ain't so hard to take, that's right
'Cause I know one day you'll be screamin' my name
And I'll just look away, that's right

(Chorus)
Just go ahead and hate on me and run your mouth
So everyone can hear
Hit me with the words you got and knock me down
Baby, I don't care
Keep it up, I'm tunin' up to fade you out
You wanna be
You wanna be
A loser like me
A loser like me
A loser like me

Hey, you, over there
Keep the L up-up in the air
Hey, you, over there
Keep the L up, 'cause I don't care
You can throw your sticks, and you can throw your stones
Like a rocket, just watch me go
Yeah, l-o-s-e-r
I can only be who I are

(Chorus)
Just go ahead and hate on me and run your mouth
So everyone can hear
Hit me with the words you got and knock me down
Baby, I don't care
Keep it up, I'm tunin' up to fade you out
You wanna be
You wanna be
A loser like me
A loser like me

(Chorus)
Just go ahead and hate on me and run your mouth
So everyone can hear
Hit me with the words you got and knock me down
Baby, I don't care
Keep it up, I'm tunin' up to fade you out
You wanna be
You wanna be
A loser like me (A loser like me)
A loser like me (A loser like me)
A loser like me
sábado, 14 de maio de 2011
Sr. Blogger muito obrigado por ter inviabilizado durante, todo o dia de ontem, as visitas às Conversas da Sopa e, por ter indevidamente apagado todas os posts que foram colocados na quinta-feira, neste blogue. Devo ainda agradecer-lhe pelo bom e inexistente apoio ao cliente que têm, assim como a péssima gestão de comunicação da vossa rede, a qual esqueceu-se de colocar os seus utilizadores a par do que se estava a tratar.
Obrigado (por nada, devo dizer).
quinta-feira, 12 de maio de 2011
Quando se fala de um preconceito fala-se de um juizo pré-concebido, manifestado em forma de atitude descriminatória para com outras pessoas, normalmente de côr, raça ou nacionalidade diferente, que são considerados "estranhos". É uma forma pejurativa de nos dirigirmos à alguém, ou a um grupo social.

O preconceito surge, muitas vezes, associado a um esteriótipo: "se és alemão, és nazi"; "se és preto, és burro", entre outras.

Uma atitude hostil, negativa ou agressiva em relação a um determinado grupo, pode ser classificada como preconceito.

Spot da Amnistia Internacional contra o Preconceito
Estou, lentamente a derreter. A temperatura no meu escritório está tão alta, que o simples facto de me levantar, para ir digitalizar uns documentos, custa horrores. Não sei, qual a temperatura lá fora, mas sei que cá dentro estou a tornar-se num sopa líquida, em estado avançado (seja isso, o que for). O ar condicionado, logo acima da minha secretária, está no máximo, mas mesmo assim não é capaz de irradiar todo este calor, que aqui se faz sentir. Temo transformar-me me água, dentro em pouco.

Ando há dois dias com uma dor de costa, que me está a deixar maluca. Desde que começei no ginásio que estas dores insistem em não abandonar-me. A instrutora de pilates explicou-me que é por ter um desvio nas costas. Ao que parece carregar mochilas de livros pesadíssimas, durante anos,  para a escola, podem causar pequenas irregularidades na coluna e, em casos graves até fazer com que haja uma desporporcionalidade no corpo. Graças a deus, que o meu caso não é assim tão grande, uma vez que só tenho mesmo uma pequena irregularidade na coluna mas, mesmo assim, isto pode, no futuro, causar-me dores insuportáveis. Agora as únicas dores que tenho é de esforçar a coluna a fazer exercícios, o que não dói na hora, mas nos dias seguintes. Mas é mesmo necessário obter algumas elasticidade nesta zona, no sentido de melhor significativamente o meu futuro (que espero que seja, sem dores). Por agora tenho que me aguentar às dores!

Acabei de receber este email, e achei demais:


Os 19 novos provérbios da Sabedoria Popular

  1. Em Janeiro sobe ao outeiro; se vires verdejar, põe-te a cantar, se vires o Sócrates, põe-te a chorar
  2. Quem vai ao mar avia-se em terra; quem vota Sócrates, mais cedo se enterra.
  3. Sócrates a rir em Janeiro, é sinal de pouco dinheiro.
  4. Quem anda à chuva molha-se; quem vota em Sócrates lixa-se.
  5. Ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão; parvo que vota em Sócrates, tem cem anos de aflição.
  6. Gaivotas em terra temporal no mar; Sócrates em São Bento, o povinho a penar
  7. Há mar e mar, há ir e voltar; só vota em Sócrates quem se quer afogar.
  8. Março, marçagão, manhã de Inverno tarde de Verão; Sócrates, Soarão, manhã de Inverno tarde de inferno.
  9. Burro carregando livros é um doutor; burro carregando o Sócrates é burro mesmo.
  10. Peixe não puxa carroça; votar em Sócrates, asneira grossa.
  11. Amigo disfarçado, inimigo dobrado; Sócrates empossado, povinho lixado.
  12. A ocasião faz o ladrão, e de Sócrates um aldrabão.
  13. Antes só que mal acompanhado, ou com Sócrates ao lado.
  14. A fome é o melhor cozinheiro, Sócrates o melhor coveiro.
  15. Olhos que não vêem, coração que não sente, mas aturar o Sócrates, não se faz à gente.
  16. Boda molhada, boda abençoada; Sócrates eleito, pesadelo perfeito.
  17. Casa roubada, trancas na porta; Sócrates eleito, ervas na horta.
  18. Com Sócrates e bolos se enganam os tolos.
  19. Não há regra sem excepção, nem Sócrates sem confusão.
     
Haja muito imaginação e humor!
Há certas coisas com as quais, confesso, tenho uma certa dificuldade em lídar. E, uma dela é o desrespeito pela figura da MULHER. Quando resolvi criar um blogue, fi-lo com intuito de puder alertar sobre diversos desvios sociais, para ajudar a mudar mentalidades, mas acima de tudo fi-lo porque sei que informação é poder e quanto mais informados estamos, melhor preparados nos sentimos para mudar o MUNDO (apesar de acharmos que isso, nunca vai ser, totalmente possivel!)

A história que vos apresento é uma história que me chocou. Pela sua frieza, mas acima de tudo pela sua práctica comum em certos países. O que acontece quando a Honra é mais importante que a Vida? Temos Vítimas da Honra!



"Todos os anos, milhares de mulheres por toda a Europa são obrigadas a casar com quem não escolheram e chegam mesmo a ser mortas em nome da honra da família. Precisamos de acabar com estes crimes bárbaros e ajudar aquelas que vivem no medo constante.
6 de Fevereiro de 2011,Oberlandgarten, Berlim. Uma multidão silenciosa de ramos de flores nas mãos junta-se num memorial erigido numa paragem de autocarros na zona de Tempelhof, na capital alemã, tal como acontece todos os anos desde há seis anos. Foi aqui que, a 7 de Fevereiro de 2005, Hatun Sürücü, uma jovem mãe de 23 anos, foi morta a tiro nesta avenida de plátanos despidos e de blocos de apartamentos anónimos.
O memorial de pedra tem gravado o nome de Hatun Sürücü – e homenageia «as outras vítimas da violência nesta cidade». Mas o assassínio de Hatun não foi um crime «normal»: foi um crime de honra.
As mortes e a violência em nome da honra acontecem quando raparigas (e por vezes também rapazes) são castigadas por violarem decisões familiares ou tradições culturais e tribais, em particular os casamentos forçados, e tornou-se um problema sério na Alemanha. No ano passado, a chanceler Angela Merkel declarou que a tentativa de construir uma sociedade integrada e multicultural se revelou um «fracasso absoluto». E não é apenas a Alemanha que se debate com esta questão. Ao longo da última década, uma prática que era considerada tabu deixou de ser escondida e, pelo contrário, revelou-se endémica em muitos países europeus com grandes comunidades de imigrantes, como é o caso de França, Itália, Dinamarca, Bélgica, Holanda e Reino Unido."
Clica aqui para leres o artigo, na íntegra.

Escusado será dizer que adorei a Feira do Livro. A quantidade de editoras e de livros deixou-me estupefacta. Parecia uma criança, numa loja de doces. Estive lá 3 horas, que passaram a correr. Parei em todos os quiosque e observei, atentamente, cada livro (e o seu preço, tá claro!). Acabei por sair de lá com um saco cheio de livros, cuja diversidade variou entre romances, livros de comunicação, livros de jornalismo e, como é claro não podia faltar uma história do século XX.

Agora (e, tendo em conta a despesa que foi) só para o ano, há mais!
domingo, 8 de maio de 2011
Livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...
Livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...
Livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...
..livros...livros...livros...livros...livros...ivros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...livros...


Enfim...já imaginam como me estou a sentir na Feira do Livro!

Cá está algo que encontrei neste site e achei o máximo. Concordo com algumas coisas, mas discordo, totalmente de outras:

Como compreender os homens?

Alguém quer comer alguma coisa? = Tenho fome.
Queres ir ao cinema? = Queres ir para a cama comigo?
Perdeste peso? = Queres ir para a cama comigo?
Queres ajuda a cozinhar? = Cozinha qualquer coisa! Tenho fome!
Sim, querida. = És mesmo chata!
Vou pescar. = Vou ficar muito bêbedo.
Quero-te de volta. = Quero-te de volta, pelo menos por uma noite.
O que se passa? = Algo está errado, outra vez.
Sai e diverte-te! = Quando eu sair, não vai poder recriminar-me.
Vamos falar. = Quero impressionar-te.
Casa comigo. = Cozinha para mim, passa as minhas roupas a ferro e arruma as minhas tralhas.
Estou a ouvir-te. = Não te estou a ouvir.
Estás sempre a limpar. = Estás a fazer demasiado barulho e não consigo ouvir a TV.
Esse vestido fica-te mesmo bem. = Gosto do teu decote.
Isto são coisas de homem. = Nunca vais entender isto, nem que te esforces muito.
Ficas bem com qualquer vestido. = Escolhe um rápido e vamos sair!


Como compreender as mulheres?

Amas-me mesmo? = Quero sapatos novos, um vestido e jóias.
Amas-me mesmo? = Fiz algo com o qual não vais concordar.
Queres mesmo ir aí? = Escolhe outra coisa, não quero ir aí.
Dás-te bem com a tua mãe? = És um homem de família?
Estou mais gorda? = Diz-me que sou bonita.
Gostas do que cozinhei? = É melhor que gostes ou vais ter fome muitas vezes.
Sê romântico, apaga a luz. = Não quero que vejas que estou mais gorda.
Deixa-me sozinha, deixa-me pensar! = Deixa-me sozinha para que me consiga lembrar de todas as coisas que me estão a incomodar.
Estás muito atencioso hoje. = Provavelmente queres que durma contigo.
Estou pronta daqui a cinco minutos. = Estou pronta daqui a meia hora.
Tens um aspecto tão másculo. = Devias ter feito a barba e tomado banho.
Como quiseres. = É melhor não o fazeres.
És muito bom com crianças. = Espero um dia tenhamos fihos juntos.
Precisamos de falar. = Quero queixar-me um pouco.
Ok, por mim está bem. = Depois vais-te arrepender.
Não se passa nada. = Passa-se alguma coisa.
Não quero uma relação séria. = Não me sinto atraída por ti.
Vamos ser amigos. = Não me sinto atraída por ti.
Talvez. = Não.
Bem, ok. = Não.
Desculpa. = Vais-te arrepender.
Nós precisamos… = Eu quero…
Fui ao café com o meu ex. = Quero fazer-te ciúmes.
Isso não é muito prático. = Quero algo novo.
Isso é interessante. = Isso não é interessante e não gosto nada.


por J.P.
Bem, hoje o dia não poderia estar a correr pior. Desculpem, disse o dia? Queria era mesmo dizer a semana. Raios, quem me dera poder irradicar estas semanas da minha vida. É que é irritante, começo na segunda-feira a fazer tudo mal e prolonga-se até à sexta-feira. Ninguém merece. Parece que, quanto mais revejo as coisas mais erradas elas estão. Epa que ganda merda! O que vale é que hoje é sexta-feira. Esperemos que segunda volte no meu estado normal.
Ok. O que dizer sobre este peculiar título? Que as mulheres que sofrem de depressãom, devem ter mais relações sexuais? Ou que as mulheres têm depressões, porque não têm relações sexuais? Pois. Indecisos? Também eu. Mas uma coisa é certa, os cientistas estão convictos de que o esperma tem propriedades anti-depressivas, um deles até afirmou, segundo o jornal Correio da Manhã, que é "um presente melhor do que chocolates no Dia dos Namorados". Têm aqui a vossa deixa, rapazes!


quarta-feira, 4 de maio de 2011
No passado dia 2 de Maio, a empresa Mediadetails-comunicação interactiva, colocou online o novo site da Labco de Espanha. A Labco é uma rede europeia, líder na área de gestão de laboratórios e diagnósticos médicos, que conta com uma extensa rede de laboratórios clínicos, hospitalares e não hospitalares. Em Espanha e Portugal a Labco integra um conjunto de laboratórios líderes em serviços, informação, gestão e realização de análises.

Com este site a Labco de Espanha pretende dar a conhecer aos utentes, os laboratórios que a constituem e, os seus serviços, fornecendo informações úteis sobre os horários de funcionamento e, disponibilizando conteúdos informativos para download, assim como uma área destinada a ofertas de trabalho, onde o utente poderá candidatar-se. A filosofia de excelência nos serviços prestados pela Labco, simplifica os processos médicos, técnicos e administrativos, reduzindo, considerávelmente o tempo de espera e, foi pensando nesta filosofia que a Mediadetails desenvolveu uma funcionalidade que permite que o utente aceda aos resultados das suas análises através do site.

Clique nos links abaixo para visitar os laboratórios da Labco de Espanha:
Labco.es
Análisis Clínicos Bioclinic, S.L.
Análisis Clínicos José Luis Vallejo, S.L.
Avivar Analistas Asociados, S.L.
GibLab
Laboratorio Canga Arqueros, S.L.
Laboratorio Sanilab
Laboser
Lallemand
Picornell Salva, S.L.
Sabater Analisis, S.A.


por Juliana Melim
in Bloguedetails

Pois é leguminosas, chegou a hora de sabermos o que realmente vai mudar em Portugal, com as medidas de austeridade negociadas entre a Troika e o Governo. Apesar de o primeiro-ministro demissionário, José Socrates, ter apenas apontado, ontem na conferência de imprensa, aquilo que não vai acontecer ao nosso país, a verdade é que muitas coisas vão acontecer. Algumas são boas, outras nem por isso.
É altura para dizer: «Toca a apertar, ainda mais, o cinto».

Para saberem o que vai mudar cliquem aqui.
Que todos nós queríamos voltar a ser crianças eu percebo, agora que um homem de 29 anos viva como um bebé, aí minha gente eu recuso-me a perceber. Aliás recuso-me a perceber o dito "bebé" e a mãe que tolera que um HOMEM, sim porque com 29 anos já é um homem bem feito e desenvolvido, viva como um bebé e o trate da mesma maneira.
Mas será que eles não se apercebem do rídiculo em que vivem? Um HOMEM que anda de fralda, mama numa chucha, alimenta-se através de um biberon, e dorme num berço gigante.

A minha única questão é: ele também é amamentado?




Faltam 2 semanas para o meu aniversário e, este ano resolvi fazer uma jantarada com o pessoal mais próximo. No entanto, tenho um problema: ainda não escolhi um restaurante para o jantar. Ando bastante indecisa, uma vez que o restaurante tem de combinar: boa comida e bebida a um preço acessível (nada que ultrapasse os 15€/pessoa). Tenho duas ou três opções que gosto bastante, mas que cujo preço ascende bastante os 15€ (o que é chato)! Também pensei em fazer a festa na minha casa mas, sinceramente não estou com muita pachorra de estar a organizar tudo (até porque não tenho muito jeito para organizar coisas destas) e, de no dia seguinte estar uma manhã inteira a lavar loiça e a arrumar a casa.

Por isso, se souberem de algum restaurante giro e, a um preço acessível digam aqui à Sopinha!!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Coitada da piquena, até eu já tenho pena dela! Desde que lançou esta música que, não se fala de outra coisa a não ser dela e, pelos piores motivos, diga-se. Até no Family Guy já é gozada. Esperemos que isto seja um exemplo para aqueles que sonham com a fama. Como dizia o homem aranha "with grat power comes grat responsabilities", e ás vezes o poder pode não ser tão belo e grandioso como sonhávamos.

Fiquei escandalizada quando soube desta notícia. Ao que parece isto é ritual em alguns países, onde as mães praticam aquilo que chamam de Yoga dos bébes, fazendo uma série de exercícios onde atiram-os ao ar e sacudem-nos. Segundo os especialistas em pediatria,  isto não é saudável para os bebés e pode causar danos irreversíveis.
Isto não é Yoga para bebés!

Este é o novo voxpopi,  das Selecções do Reader's Digest, acabadinho de publicar no site.

Os nossos dias são feitos de rotinas e, qualquer novo acontecimento que altere essa mesma rotina tem um forte impacto na nossa vida, ficando marcado na nossa memória. Todos nós temos um dia especial, aquele que consideramos ser "o melhor dia da nossa vida". A Selecções foi à procura desse dia especial, junto dos portugueses.


Ler este artigo é importante. É importante conhecer os verdadeiros perigos da Internet e é imprescendível manter as crianças informadas e alertas sobre este tipo de situações, pois só assim elas conseguiram dizer: "NÃO".



«Vá lá, mãe, por favor? Todos estão lá!»

Marianne* ouviu este estribilho durante meses. Não havia nada que a sua filha mais nova, Katrina*, quisesse mais na Internet do que juntar-se à rede Habbo.com, o maior hotel virtual e rede social do Mundo para adolescentes. Iria mudar a sua vida, dizia-lhe ela, e poderia conhecer pessoas de todo o país.
«Tu só tens 11 anos!», era a resposta do costume.
«Eu vou ser responsável! Prometo!»

Finalmente, Katrina convenceu a mãe. Juntou-se ao Habbo e aos seus 500 000 membros na Holanda desde que seguisse algumas regras: não daria nunca os seus números de telefone, endereço de e-mail e, acima de tudo, nunca daria a localização da família, numa pequena cidade no Sul do país.

O que poderia correr mal?

O primeiro sinal de problemas surgiu num sábado de Fevereiro de 2010, quando Katrina foi a uma festa de anos sem o telemóvel que a mãe lhe tinha comprado na semana anterior. Marianne estava a mostrá-lo a uma amiga quando chegou uma mensagem de texto. «Está lá dentro de 15 minutos», podia ler-se. «Gosto de ti.» Marianne ficou intrigada. «Está lá?», pensou. «Mas a Katrina não está na festa de anos?»

Preocupada, procurou o histórico de mensagens. Existiam cerca de 70 mensagens de texto, todas de alguém chamado Eric. Muitas delas tinham um teor inadequado, eram até mesmo de cariz sexual. Oh, meu Deus! Procurou o número de Eric no telefone, só que não existia nenhum Eric do outro lado. Ao invés, ela chegou à caixa de correio de voz de um tal «Andreas», que soava não como um rapaz ou um adolescente. Era uma voz de homem. Ligou para o marido no trabalho.

«Creio que a nossa mais nova está a ser contactada por um pedófilo», resumiu.

«Vou já para casa», respondeu-lhe o marido. «Vê o portátil dela.»

Era o pior pesadelo de qualquer pai: uma torrente de mensagens de «Andreas» para Katrina, incluindo uma que mencionava o facto de terem «feito amor» na semana anterior e o que ele iria fazer com ela da próxima vez que estivessem juntos. Era da filha dela que estavam a falar, da sua bebé que ainda nem sequer usava soutien! «Respira!», dizia intimamente. Tinha vontade de vomitar, mesmo tentando controlar-se. O que tinha feito de errado? Seria porque tanto ela como o marido trabalhavam fora a tempo inteiro? Katrina sabia que não podia nunca falar com estranhos. Os pais tinham-na ensinado e aos seus três irmãos mais velhos.

Quando chegou a casa, Katrina tentou negar tudo. Eric era apenas uma pessoa que ela tinha conhecido no Habbo, explicou, e Andreas era só um amigo mais velho de Eric.

«E estes e-mails? », perguntou Marianne. «E estes textos? Nós vamos à Polícia!»

Devagarinho, a história começou a surgir. No início, Katrina pensou que «Eric» tinha 12 anos, depois 14 e a seguir 18. Ele alugou um quarto de hotel virtual no site e pagou-o com o seu cartão de crédito. Eles «foram para lá juntos». Ela chamava-lhe «namorado» e ele chamava-lhe «princesa.» Quando ele sugeriu que saíssem do seu ninho de amor virtual para se encontrarem no mundo real, pareceu-lhe um passo natural. Não importava que ele tivesse 28 anos. Ele foi buscá-la à escola no seu BMW e levou-a a comer lagosta antes de irem para um quarto de hotel bem real, com uma cama a sério e um chuveiro a sério. Ele fê-la sentir-se crescida e bonita – e ninguém na família desconfiou de nada porque ela estava sempre em casa à hora do jantar.

«Eu amo-o», disse ela.

Marianne levou o computador de Katrina à esquadra mais próxima, mas disseram-lhe para voltar na segunda-feira. Ela nem queria acreditar. A sua bebé estava metida num sarilho e a Polícia tinha a lata de lhe dizer que não tinha efectivos suficientes para lidar com a queixa? E não tinha saído, no mês anterior, uma lei que criminalizava o aliciamento online – a cuidadosa busca e preparação de menores para os seduzir e abusar deles?

«O que fazemos?», perguntou, desesperada, ao marido.

«Vamos a outra esquadra», respondeu-lhe ele. «Não esperamos.»

Infelizmente, a história de Katrina não é a única. Por toda a Europa, existem narrativas de miúdos que foram iludidos com falsas garantias de segurança quando se aventuraram online. Miúdos abordados em redes sociais por mensagens instantâneas ou em jogos online. Miúdos que foram seduzidos por um simples cumprimento enviado pelo ciberespaço e que nunca pensaram que alguma coisa de mal pudesse acontecer quando passassem do virtual para o real e conhecessem, de facto, aquele novo amigo.


Para continuares a ler o resto do artigo, clica aqui.



por: Lisa Fitterman
in Revista Selecções
As Conversas da Sopa. Com tecnologia do Blogger.

A Sopa no Facebook

Todos os conteúdos deste site estão protegido pela lei internacional deCopyright e, não podem ser copiados, descarregados ou retransmitidos sem o consentimento prévio da autora.

Pesquisa

Estatísticas