sábado, 3 de março de 2012
Isto de ter insónias é lixado. Dou por mim a ter conversas sentimentalistas sobre o passado e os erros cometidos. Isto quando sou privada do sono fico assim, meia avariada "dos cornos" (que é como quem diz, da cabeça). E, uma simples conversa, com um velho amigo, pode desenterrar muitas lembranças e muita saudades. A pouco e pouco vamo-nos apercebendo de como o tempo passa a correr e das coisas que ficaram para trás. Vamos ganhando amigos, perdendo outros... vamos moldando as nossas atitudes, perdendo caraterísticas que anteriormente nos definiam... vamos a pouco e pouco amadurecendo.A inocência e o imaginário dão lugar à dura realidade que é a vida e, a imaturidade da adolescência dá lugar ao profissionalismo e à ambição. Vivemos rodeados de confusão, stress, trabalho, rotinas. Absorvidos por um tempo que escassa a cada dia e, por uma juventude que a cada ano desaparece. Vivemos o amanhã, esquecendo o mais importante - o Hoje. Recordamos o passado chorando aqueles que perdemos. Aqueles que outrora fizeram parte da nossa vida. Aqueles com quem partilhámos histórias, aventuras, cusquices, beijos, amor.
E, o que acontece quando um dia acordarmos e tudo isto for uma doce lembrança? Quando a imagem no espelho for demasiado rugosa e distorcida para nos revermos nela? Quando a idade deixar de ser importante, porque a morte assumiu o comando? Será que a nossa percepção do que é vida se altera?

1 comentários:

Moa disse...

Gostei deste texto...

Enviar um comentário
As Conversas da Sopa. Com tecnologia do Blogger.

A Sopa no Facebook

Todos os conteúdos deste site estão protegido pela lei internacional deCopyright e, não podem ser copiados, descarregados ou retransmitidos sem o consentimento prévio da autora.

Pesquisa

Estatísticas